Obsessão Romântica

OBSESSÃO ROMÂNTICA

“ROMANTIC OBSSESSION” SLAA PAMPHLET - CONFERENCE-APPROVED LITERATURE

Muitos de nós chegaram à DASA por causa de alguma forma de obsessão. A Obsessão Romântica é amplamente definida como fixação doentia por outra pessoa com quem temos/tivemos um relacionamento ou sequer tenhamos conhecido. Uma obsessão romântica pode ser desencadeada por uma obsessão sexual, o início ou término de um relacionamento ou por razões além de nosso entendimento. O objeto de nossa obsessão romântica, por exemplo, pode ser alguém que tenhamos escutado em uma reunião, uma figura pública, ou uma pessoa anônima num anúncio de revista. Em muitos caso, pode não ser claro para nós qual é o “gatilho” para a obsessão.

A natureza dependente da obsessão pode distorcer nosso pensamento e comportamento e nos levar a uma direção que viola a nossa dignidade e integridade pessoal.

Nós que padecemos de obsessão romântica temos encontrado esperança e recuperação em DASA. O Programa muda o foco da relação romântica idealizada pela nossa doença para uma relação com um Poder maior que nós mesmos. Ao trabalhar os 12 Passos de DASA nós contrariamos o comportamento destrutivo e o auto-ódio que acompanham a obsessão e começamos a experimentar um retorno à sanidade de forma gradual e persistente.

Uma vez que nos dispomos a nos render à nossa impotência e agirmos de maneira saudável podemos ser guiados com segurança de volta à sanidade e libertos da escravidão da obsessão romântica. A seguir algumas formas que a obsessão pode nos afetar.

Envolver-se em Obsessão Romântica Distorce nossas Percepções

No auge de nossa obsessão:

Nós podemos ver o objeto de nossa obsessão como alguém diferente do que ele/a é.

Nós podemos idealizar, glorificar e dar poder à outra pessoa.

Nós podemos demonizar ou ficar ressentidos com o objeto de nossa obsessão.

Nós podemos projetar qualidades na pessoa que ela/e não possui.

Nós podemos nos iludir em nosso pensamento e negar a nossa doença.

. Nós podemos nos convencer de que morreremos sem a outra pessoa.

 

Obsessão Romântica escurece a Realidade

Enquanto obcecados:

. Nós podemos dizer a nós mesmos que o objeto de nossa obsessão pode fazer-nos sentir seguros e contentes.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que a nossa paz de espírito depende do reconhecimento delas(es) ou elas(es) dando o que queremos.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que “amamos” a outra pessoa embora possamos não respeitar suas deficiências ou limites.

. nós podemos dizer a nós mesmos que a outra pessoa representa um estilo de vida que queremos, mas que nos está sendo negado.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que nossas amizades são chatas e sem sentido.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que a outra pessoa está nos julgando, nos considera fracassados, inadequados ou patéticos.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que deveríamos ser leais à outra pessoa mesmo que ela/e nos ignore, abuse ou violente.

. Nós podemos dizer a nós mesmos que outras pessoas não entendem a nossa dor.

Obsessão Romântica Promove Comportamentos Auto-Destrutivos

Enquanto obcecados:

. Nós podemos nos encontrar tentando resgatar, consertar ou controlar alguém com a expectativa que conseguiremos compromisso, fidelidade ou obediência como retorno.

. Nós podemos nos encontrar mentindo sobre nossos motivos, tentando manipular ou coagir outros, iniciando ou envolvendo-se em jogos de poder ou violando a privacidade das pessoas e limites pessoais.

. Nós podemos nos encontrar usando sexo para chamar atenção, manipular, explorar, premiar ou controlar.

. Nós podemos nos envolver em comportamento sexualmente compulsivo, pornografia, múltiplas relações sexuais, comportamentos perigosos ou anorexia sexual num esforço de escapar da dor emocional.

Obsessão Romântica nos Impede de Participar Plenamente da vida

Enquanto obcecados nós frequentemente:

. Evitávamos estabelecer metas ou nos mover em direção a elas

. Nos afastávamos das outras pessoas

. Restringíamos nosso comportamento limitando-o a poucas e monótonas rotinas.

. Perdemos interesses e/ou até o interesse na própria vida

. Nos encontramos sentindo-nos impotentes, chatos e sem vida

. Subvertemos, sabotamos, minamos e nos impedimos de crescer emocional

Obsessão Romântica é Auto-Negação

No auge de nossa obsessão podemos:

. Dizer a nós mesmos que nossa vida não tem nenhum propósito, valor ou futuro

. Negar nossas verdadeiras realizações e habilidades

. Dizer a nós mesmos que somos indesejáveis, antipáticos, assexuados e desprezíveis.

. Nos isolar dos outros e experimentar solidão e dor

. Nos comparar com aqueles que parecem "ter tudo"

. Dizer a nós mesmos que somos desamparados, derrotados

. Distorcer nossas personalidades nos fazendo de vítimas, mentirosos ou até mesmo violentos.

Obsessão Romântica é Baseada no Medo

Me exponho ao medo de:

. Solidão

. Humilhação

. Ser indesejável e inútil

. Destruição

. Ser responsável por si

. Comprometer-me com outros

. Comprometer-me com minha recuperação

Obsessão invariavelmente leva à:

. Negação

. Pensamentos delirantes

. Atos desonestos (ex: manipulação, intrusão na privacidade dos outros, etc.)

Algumas estratégias que temos usado para superar a Obsessão

Nós:

. Trabalhamos os 12 Passos

. Praticamos humildade e admitimos que somos impotentes perante o objeto de nossa obsessão e os sentimentos de obsessão em si

. Oramos e meditamos sabendo que Deus nos quer vivendo livres de culpa, isolamento, auto-ódio e medo

. Pedimos ao nosso Poder Superior para aliviar nossa obsessão

. Fazemos um inventário de nossos medos

. Fazemos uma lista de nossas realizações, forças e talentos

. Nos afastamos e evitamos o objeto de nossa obsessão "um dia / uma hora de cada vez"

. Solicitamos um acordo de nenhum contato temporário

. Praticamos vulnerabilidade saudável ao partilhar nas reuniões, tendo e ligando/encontrando regularmente um padrinho e proporcionando ajuda "ao dependente que ainda sofre"

. Envolvemo-nos no auto-cuidado ao buscar atividades que gostamos

. Acolhemos pessoas e interesses saudáveis em nossas vidas

. Estabelecemos prioridades em nossas vidas ao focar no que queremos acrescentar em nosso trabalho, vida particular e descanso 

. Encontramos e reconfirmamos nosso propósito ou missão na vida

. Buscamos oportunidades de prestar serviço.

Em nossa experiência, existe um padrão comum na dependência de amor e sexo, no pensamento delirante e no comportamento auto-destrutivo que é alimentado pela obsessão.

Nós descobrimos que existe uma Solução Comum

. Nós interrompemos nossa prática numa base diária

. Nos abstemos da auto-punição e auto-rejeição

. Nós vamos às reuniões

. Nos rendemos à dor e desconforto da Abstinência

. Nós trabalhamos os 12 Passos de DASA

Os países de língua portuguesa foram autorizados por The Augustine Fellowship, a utilizarem a sigla
DASA - Dependentes de Amor e Sexo Anônimos em lugar de S.L.A.A. - Sex And Love Addicts Anonymous,
uma vez que mantenham o logotipo oficial de S.L.A.A.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.